Novidades

Acompanhe aqui as novidades

Saiba mais sobre as notícias do mundo leiteiro.

1

Da pequena à grande propriedade, a pasto ou confinado, por que produtores de leite estão apostando na robotização?

A DeLaval foi a primeira empresa do setor a trazer para a América Latina o VMS™, o inovador sistema de ordenha robotizado, desenvolvido para ordenhar o rebanho automaticamente durante 24 horas por dia e 7 dias por semana. Desde 2013, produtores em várias regiões do Brasil e da América Latina ordenham seus rebanhos em salas robotizadas.

Essas propriedades fazem parte de um grupo crescente que busca o mais alto nível de profissionalização e tecnificação na pecuária de leite e optaram pela robotização da ordenha buscando um novo modelo de produção de leite.

Atualmente, são mais de 100 robôs em operação em toda a América Latina, em propriedades com os mais diversos sistemas de produção e propósitos, do pequeno ao grande produtor, em sistemas confinados ou até mesmo a pasto.

Ao contrário do que ainda se acredita, ordenha robotizada não é somente para grandes fazendas, com altas produções. Nos vídeos abaixo, você irá quebrar esse paradigma: cinco propriedades de diferentes perfis contam pra gente como a tecnologia está revolucionando a sua produção de leite.

 

Fonte: www.milkpoint.com.br

3

Leite: custos de produção em queda

Recuo no preço de alimentos concentrados e combustíveis seguem barateando a atividade leiteira

Os custos de produção da pecuária leiteira caíram pelo quinto mês consecutivo.

Segundo o Índice Scot Consultoria, em junho, o recuo foi de 2,1% em relação a maio deste ano. Desde fevereiro último, início das reduções no índice, os custos da atividade caíram 8,6%.

As quedas nas cotações dos alimentos concentrados energéticos, com destaque para o milho e para a polpa cítrica, e dos combustíveis/lubrificantes puxaram a redução do custo.

Na comparação com junho do ano passado, os custos de produção da atividade caíram 12,8%.


Fonte: Scot Consultoria


2

Do balde ao pé ao free stall, Fazenda Céu Azul se estrutura para alcançar 30 mil litros/dia

Fazenda Céu Azul, localizada em Silvânia/GO, foi adquirida por João Vander Ferreira em 1998. Inicialmente, a ideia era desenvolver a agricultura (cultivo de soja e milho). Em 2002, ele resolveu iniciar a produção de leite já que a sua família é mineira e tradicional no ramo. Gostando e acreditando na atividade, a fazenda produzia na época 300 litros/dia e utilizava balde ao pé com capacidade para quatro animais. “Em 2003, já com a produção de 1 mil litros/dia, resolvemos investir mais no negócio, com o incentivo de minha esposa, a qual passou a ajudar na atividade atuando no controle econômico financeiro. Neste mesmo ano, adquirimos uma ordenha com capacidade para 12 animais. Gradativamente, fomos crescendo de forma rápida até que em 2010/2011 conseguimos alcançar quase 8 mil litros/dia”, conta João. 

Em 2016, já produzindo em torno de 12 mil litros/dia e com a entrada de um dos filhos do casal na atividade, uma nova etapa foi iniciada: a análise da atividade, o investimento na estrutura e o planejamento do futuro da fazenda para os próximos cinco anos. 

“Com a orientação de parceiros, nos rendemos ao free stall com um projeto para três galpões com 336 animais cada. Em dezembro de 2016, inauguramos o primeiro galpão e atualmente estamos montando uma nova ordenha com capacidade para ordenhar 40 animais. Com a construção dos três galpões, pretendemos alojar mil animais com a produção de 30 mil litros/dia”, complementa. Hoje toda a agricultura desenvolvida é utilizada para a alimentação do rebanho leiteiro. São produzidos 13.500 litros com 508 animais em lactação. No total, são 1.050 animais no plantel da raça Holandesa e 50% ficam no free stall e 50% em confinamento em piquetes. 

João Vander será um dos palestrantes do Interleite Brasil 2017. A sua palestra comporá o painel “Produtores em destaque: gestão para resultados consistentes”. O evento ocorrerá nos dias 2 e 3 de agosto em Uberlândia/MG.

O evento deste ano terá apresentações de produtores e técnicos, divididas nos painéis temáticos:

– Por que investir no leite?;
– Começando do zero: desafios, aprendizados e expectativas;
– Produção de leite, mercado e rentabilidade: vamos aos números;
– Inovação e futuro;
– Tecnologia aplicada;
– Conforto, reprodução e sanidade;
– Produtores em destaque: gestão para resultados consistentes.

“Nossa área de plantio é própria, temos abundância de água, estamos numa localização privilegiada com relação aos laticínios, o clima é bom, a altitude é de aproximadamente 900 metros e a propriedade conta com a administração familiar”. Em cima disso, João procura produzir leite com qualidade por meio de:

– Assistência técnica adequada;
– Treinamento constante da mão de obra utilizada;
– Investimentos constantes em tecnologias e;
– Melhoria do conforto animal.

 

“Nosso desafio é manter o crescimento dos últimos anos, o investimento na melhoria do conforto animal e a continuidade da produção consistente com boas práticas ambientais e sociais. Falando em sustentabilidade e bem-estar animal, com a execução final dos atuais projetos, estaremos avançando cada vez mais nesta direção, pois realizamos em 2016 um investimento em tratamento de dejetos (que ainda sofrerá melhorias) visando o aproveitamento da energia gerada; melhoramos as instalações para o conforto e bem-estar animal, produzindo e oferecendo cada vez mais alimentos com qualidade e conseguindo o reaproveitamento de dejetos e; oferecemos constantemente melhores condições de trabalho aos nossos empregados”, finaliza o produtor. 

Fonte: www.milkpoint.com.br